Agenda de Cursos
Novidades
Plantão de Dúvidas
Cadastro
O professor
Contato
GRAMÁTICA
DEPOIMENTOS, SUGESTÕES E OPINIÕES
ARTIGOS

 

 

Você está navegando na: Página Inicial / GRAMÁTICA / ESTRUTURA E FORMAÇÃO DAS PALAVRAS

APRENDA MAIS

20/07/2010 - ESTRUTURA E FORMAÇÃO DAS PALAVRAS

ESTRUTURA E FORMAÇÃO DAS PALAVRAS


A – Estrutura das palavras


As palavras podem, em geral, ser decompostas em vários segmentos (unidades mínimas de caráter significativo). São eles: radical, tema, afixos (prefixo e sufixo), desinências (nominal e verbal) e vogal temática. Esses segmentos são chamados de elementos mórficos ou morfemas. Além desses, ainda temos vogal ou consoante de ligação.


A – Radical (ou semantema)


É o elemento mórfico que funciona como base do significado da palavra, ou seja, o elemento comum a palavras da mesma família.  As palavras que provêm do mesmo radical são chamadas de palavras cognatas.


Encontra-se o radical, destacando-se da palavra os seus elementos secundários (quando houver): CERTo – inCERTEZA – CERTeiro – CERTinho;  desCAFEizado – CAFEzinho – CAFEteria – CAFEzal; aJEITado – desaJEITado – JEITinho – JEIToso; desCONHECido – CONHECer – CONHECido –  CONHEÇamos.                          


Obs.: Será utilizado somente o termo radical para designar o morfema que funciona como base do significado. Será preterido o termo raiz, porque sua identificação implica conhecimentos profundos da etimologia de cada palavra. 


B – Desinências


São os elementos acrescentados ao fi-nal das palavras, indicando-lhes as flexões gramaticais. 


Dividem-se em:


desinências nominais, quando indicam as flexões de gênero e de número dos nomes.  Por exemplo, em menino, menina, meninos, meninas, -o, -a são desinências de gênero, e -s é desinência de número.


Obs.: Em palavras como pires, lápis, ônibus, o -s- final não é desinência  nominal, por não marcar oposição singular/plural.


desinências verbais, quando indicam as flexões de número e pessoa, tempo e modo do verbo. Assim, na forma FALÁSSEMOS, temos FAL- radical, -A- vogal temática, -SSE- desinência modo-temporal, -MOS desinência número-pessoal.


C – Vogal temática


É a vogal que, em alguns casos, acrescenta-se ao radical, preparando-o para receber as desinências.  As vogais temáticas podem ser verbais ou nominais:


vogal temática verbal é a vogal que aparece depois do radical dos verbos colocados no infinitivo.  Essas vogais determinam a conjugação a que os verbos pertencem: -A- (l.ª), -E- (2.ª) e -I- (3.ª): cantAr     vendEr     partIr     


vogal temática nominal é a vogal átona que aparece no final de determinados nomes, e que não caracteriza desinência, ou seja, não marca oposição masculino/feminino. Ocorre em palavras como mesa, cadeira, livro e caderno, cujas letras finais não possuem a oposição meso, cadeiro, livra e caderna.       


Nesses casos, as vogais átonas finais -a-, -e- e -o- são classificadas como vogais temáticas.


Obs.: Os nomes terminados em vogal tônica não apresentam vogal temática nem desinência nominal: maracujá, café, dominó, saci, bambu.


D – Tema


Tema é o radical acrescido da vogal temática. 


Nos verbos o tema é obtido destacando-se a letra -r- do infinitivo: CANTAr (radical CANT- mais vogal temática -A-), VENDEr (radical CANT- mais vogal temática -E-), PARTIr (radical PART- mais vogal temática -I-).


Nos nomes nem sempre é fácil apontar a vogal temática, pois ela pode nem existir.  O tema fica mais evidente em nomes derivados de verbos: CAÇAdor, DEVEdor, FINGImento, PERDOÁvel, FERVEnte. Na palavra CASA, no entanto, ela se confunde com o tema (radical CAS- mais vogal temática é o -A-).


E – Afixos


São os elementos de significação secundária que se juntam ao radical, modificando-lhe o significado ou a função, para formar uma nova palavra. Quando antepostos ao radical, recebem o nome de prefixos; quando pospostos, sufixos.   


DESLEAL (radical LEAL mais prefixo DES); SAPATEIRO (radical SAPAT mais sufixo EIRO).


F – Vogais ou consoantes de ligação


São elementos sem qualquer sentido que se intercalam entre os outros para facilitar a pronúncia: cafe-i-cultor, gas-ô-metro, cha-l-eira, pau-l-ada, cafe-t-eira.    


EXERCÍCIOS:


1.) Assinale a alternativa errada com relação à análise morfológica da palavra  desonrosa: a) O radical é onr-.  b) O prefixo é des-. c) O sufixo é -rosa.  d) O “a” final é desinência de gênero.


2.) Classifique os elementos mórficos das palavras abaixo: a) PEDRINHAS: pedr - ______________; inh - _______________; a -  ________________; s - ________________.   b) LUGAREJO: lugar -  _____________; ejo - _______________. c) AGENDA: agend - ____________; a -  ________________.  d) CANTÁSSEMOS: cant - ______________; á -_________________; sse - _______________; mos - ______________. e) VENDÊRAMOS: vend - ______________; ê - _________________; ra - _________________; mos - _______________.


B – Processos de formação de palavras


Como pré-requisito ao estudo da formação das palavras, convém lembrar que há, em português:


1) palavras primitivas – aquelas que, na língua portuguesa, não provém de outra: casa, pedra, flor. 2) palavras derivadas – aquelas que provêm de outra: casebre, pedreiro, florzinha. 3) palavras simples – aquelas que possuem um só radical, sejam elas primitivas ou derivadas: flor, florista, tempo, cavalo, cavalgada, mar, alto. 4) palavras compostas – aquelas que possuem mais de um radical: couve-flor, passatempo, cavalo-marinho, planalto.


Obs.: As palavras compostas podem ou não ter seus elementos ligados por hífen.


As palavras da língua portuguesa são formadas a partir de dois processos: a derivação e a composição.


1 – Composição


A composição consiste na criação de palavra nova por meio da união de duas outras ou mais. Esta associação pode ser feita por justaposição ou aglutinação:


a) composição por justaposição – ocorre quando, na formação da nova palavra, nenhum dos elementos que a compõem perde a sua autonomia fonética: couve-flor, salário-família, passatempo, girassol.


b) composição por aglutinação – ocorre quando, na formação do novo vocábulo, ocorre alteração fonética na(s) palavra(s) que o compõem: fidalgo, planalto, pernalta, vinagre, aguardente.


Obs.: Ocorre composição também com radicais que não possuem vida autônoma na língua.  Nesse caso, temos os chamados compostos eruditos: demo+cracia = democracia; filo+sofia= filosofia. 


2 – Derivação por acréscimo de afixos


Esse tipo de derivação consiste na formação de palavras através do acréscimo de afixos a um radical ou palavra primitiva. Pode ser prefixal, sufixal, parassintética ou prefixal e sufixal não simultânea.


a) derivação prefixal – ocorre quando a palavra nova é criada pelo acréscimo de prefixo: infeliz, desleal. b) derivação sufixal – ocorre quando a palavra nova e criada pelo acréscimo de sufixo: felizmente, lealdade.  c) derivação parassintética – dá-se quando a palavra nova é obtida pelo acréscimo simultâneo de prefixo e sufixo ao radical: entristecido, entardecer. d) derivação prefixal e sufixal não simultânea – ocorre quando a palavra nova é obtida pelo acréscimo não simultâneo do prefixo e do sufixo ao radical: infelizmente, deslealdade.


3 – Outros tipos de derivação


a) derivação regressiva ou deverbal – é a obtenção de um substantivo que denote ação, pela supressão de determinadas letras do infinitivo do verbo: CAÇAR ð CAÇA, ATACAR ð ATAQUE, COMBATER ð COMBATE.


Obs.: Substantivos como PLANTA, ÂNCORA e TELEFONE, que não denotam ação, serão palavras primitivas que darão origem aos verbos PLANTAR, ANCORAR E TELEFONAR.


b) derivação reducional ou abreviação – é o emprego de palavras, reduzindo-as até o limite que não prejudique a sua compreensão: moto, foto, pneu, auto, zôo, Floripa, metrô, micro, vídeo, vice, refri, profe, ceva, etc.


c) abreviaturas e siglas


Abreviatura é a representação de determinadas palavras por meio de algumas de suas sílabas ou letras: pág. ou p. (página), m (metro), Fís. (Física), Av. (Avenida), ed. (edição), loc. adv. (locução adverbial).


Obs.: Em geral a abreviatura termina por consoante seguida por ponto final. As abreviaturas de símbolos científicos, porém, são grafados sem ponto e, no final, sem “s”: m (metro ou metros), 10h30min (dez horas e trinta minutos).


Às vezes, as palavras têm mais de uma maneira de serem abreviadas: Sr.ª  ou Sra. (Senhora).


Os designativos de topônimos devem ser escritos por extenso: São Paulo (e não S. Paulo).


Sigla é a abreviatura feita com as Letras ou mesmo as sílabas iniciais das palavras que a compõem: PSDB – Partido da Social Democracia do Brasil; OAB – Ordem dos Advogados do Brasil; Embratur – Empresa Brasileira de Turismo.


A partir das siglas podemos derivar outras palavras: petismo, aidético, dedetizar.


Algumas siglas são originárias de outras línguas, principalmente do inglês: HIV (Human Immunodeficiency Virus – vírus da imunodeficiência humana), VHS (Video Home System), Aids (Acquired Immunological Deficiency Syndrome – síndrome da imunodeficiência adquirida), Unesco (United Nations Educational, Scientific and Cultural Organization – Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura). 


d) derivação imprópria ou conversão – consiste na mudança de classe das palavras.                                  1 – de substantivos próprios a comuns: macadame (de Mac Adam), gilete (de Gillette), damasco (de Damasco). 2 – de substantivos comuns a próprios: Coelho, Leão, Pereira. 3 – de substantivos a adjetivos: comício monstro, mulher gato. 4 – de adjetivos a substantivos: persiana, maligno. 5 – de verbos a substantivos: o viver, o jantar. 6 – de adjetivos a advérbios: falar alto, custar caro. 7 – de palavras invariáveis a substantivos: o porquê, o não, os contras.


e) onomatopéias – são palavras que procuram reproduzir aproximadamente sons ou ruídos: tique-taque, zunzum, cacarejar, miar, etc.


f) hibridismos – são as palavras em cuja formação ocorrem elementos de línguas diferentes: monocultura  (mono + cultura, grego e latim); alcoômetro (álcool + metro, árabe e grego); lactômetro (lact + metro, latim e grego); televisão (tele + visão, grego e latim); automóvel (auto + móvel, grego e latim); abreugrafia (Abreu + grafia, português e grego); sociologia (sócio + logia, grego e latim); agribusiness (agri + business, latim e inglês); burocracia (buro, de bureau + cracia, francês e grego); sambódromo (samba + dromo, dialeto africano e grego).


EXERCÍCIOS:


         1.) (T.JUST.-RJ)  Silicose é um vocábulo que apresenta o sufixo -ose indicativo de doença.  Em que palavra abaixo esse mesmo sufixo tem valor diferente? a) trombose;  b) tuberculose;  c) dermatose;  d) diagnose;  e) psicose.


       2.) (T.JUST.-RJ)  Que palavra abaixo apresenta uma classificação errada do elemento estrutural em destaque? a) criminal(i)dade vogal de ligação;  b) adequ(a)damente – vogal temática;  c) convulsiv(a) – desinência de gênero;  d) destru(i)ndo – vogal temática;  e) cegu(eira) – sufixo.


         3.) (CÂM.MUN.-RIO)  Na palavra consenso, o prefixo com- tem valor de companhia, concomitância. Indique o item em que o valor semântico do prefixo destacado está incorretamente dado. a) ambidestro – duplicidade;  b) cisandino – posição aquém;  c) embeber – movimento para fora;  d) intramuscular – posição interior;  e) progredir – movimento para frente


         4.) (T.JUST.-RJ)  Na palavra supostamente, como deve ser classificado o  elemento morfológico “a”: a) desinência de gênero;  b) vogal temática;  c) desinência de número;  d) sufixo;  e) desinência modo-temporal.


       5.) (TALCRIM)  O termo “redefinição é estruturalmente formado por: a) prefixo – radical – vogal temática – sufixo;  b) radical – sufixo – vogal temática – sufixo;  c) prefixo – radical – sufixo;  d) radical – vogal de ligação – sufixo;  e) prefixo – radical – vogal de ligação – desinência.


       6.) (TALCRIM) A alternativa que tem palavra com significado idêntico ao elemento poli, na palavra polissintetismo, é: a) polimorfismo;  b) politização;  c) impolido;  d) politicalha;  e) policiamento.


       7.) (B.BRASIL)  A palavra “AGUARDENTE” formou-se por: a) hibridismo;  b) aglutinação;  c) justaposição;  d) parassíntese;  e) derivação regressiva.


       8.) (AMAM) Que item contém somente palavras formadas por justaposição? a) desagradável – completamente;  b) vaga-lume – pé-de-cabra;  c) encruzilhada – humanidade;  d) supersticiosa – valiosas;  e) desatarraxou – estremeceu.


       9.) (FUVEST-SP)  Assinalar a alternativa em que a primeira palavra apresenta sufixo formador de advérbio e a segunda, formador de substantivo: a) perfeitamente – varrendo;  b) provavelmente – erro;  c) lentamente – explicação;  d) atrevimento – explicação;  e) proveniente – furtado


         10.) (UFMG)  Em que alternativa a palavra em destaque resulta de derivação imprópria? a) Às sete horas da manhã começou o trabalho principal: a votação. b) Pereirinha estava mesmo com a razão.  Sigilo...  Voto secreto...  Bobagens. Bobagens! c) Sem radical reforma da lei eleitoral, as eleições continuariam sendo uma farsa! d) Não chegaram a trocar um isto de prosa, e se entenderam. e) Dr. Osmírio andaria desorientado, senão bufando de raiva.


11.) (T.CONTAS-ES)  O vocábulo  televisão” é um hibridismo, já que contém elementos de línguas diversas.  Assinale o item em que o vocábulo dado também pode ser visto como hibridismo: a) perfume;  b) catálogo;  c) burocracia;  d) hipopótamo;  e) antropófago


         12.) (STJ)  O adjetivo “nacional” é da mesma família de palavras do substantivo “nação”; em que item abaixo uma das palavras citadas não pertence à mesma família das demais?  a) pensamento – pensativo – impensado – pensante;  b) inteiro – integral – integridade – desintegrar;  c) pedreira – depredar – pedraria – empedrar;  d) trânsito – transeunte – transitório – transitável;  e) amor – amado – amante – amável.


13.) (S.E.POL.CIVIL)  Tevêé uma forma abreviada de “televisão; qual das palavras destacadas a seguir também é uma abreviação? a) bom   b) pneu   c) só   d) um   e) caso.


         14.) (S.E.POL.CIVIL) O vocábulo pesquisa é formado por derivação regressiva; em que item a seguir a palavra destacada é formada por esse mesmo processo? a) Houve erros de previsão grosseiros.  b) O motivo é evidente.  c) O eleitor poderia ir à praia.  d) O estudo dos resultados mostrou falhas.  e) O feriado das eleições foi aproveitado.


         15.)  As palavras perda, corredor e saca-rolhas são formadas, respectivamente, por:  a) derivação regressiva, derivação sufixal, composição por justaposição; b) derivação regressiva, derivação sufixal, derivação parassintética; c) composição por aglutinação, derivação parassintética, derivação regressiva; d) derivação parassintética, composição por justaposição, composição por aglutinação; e) composição por justaposição, composição por aglutinação, derivação prefixal 


GABARITO: 1.) c; 2.) a – radical, sufixo, vogal temática, desinência nominal de número; b – radical, sufixo; c – radical, vogal temática; d – radical, vogal temática, desinência modo-temporal, desinência número-pessoal; e – radical, vogal temática, desinência modo-temporal, desinência número-pessoal. 1.) d; 2.) b; 3.) c; 4.) a; 5.) a; 6.) a; 7.) b; 8.) b; 9.) c; 10.) d; 11.) c; 12.) c; 13.) b; 14.) d; 15.) a.

Fonte da Informação:

 

 
 

(48) 9912-0599
marcoskarro@yahoo.com.br

© Todos Direitos Reservados - www.marcoskarro.com.br